quinta-feira, 20 de agosto de 2015

 
EFEMÉRIDE
FOI HÁ 25 ANOS...
 
campeoes 89-90 em pose.jpg
  "CAMPEÕES" de JUNIORES 89/90 posam para a fotografia
 
Nunca me cansarei de elogiar o trabalho desenvolvido ao longo dos anos pelo denominado departamento de formação do S.C. Freamunde, desde o tempo de "Zeca Mirra", o HOMEM que lançou a semente, adubada contínua e carinhosamente. Os "frutos", esses, continuam a ser da melhor qualidade. Nunca me cansarei de incentivar os seus dirigentes para que não desfaleçam nem se deixem morrer nos tempos da indiferença.
É, no entanto, necessário continuar a dar a melhor das atenções às áreas de desenvolvimento como é o futebol jovem.
A habilidade, para muitos rapazes (e raparigas) sendo congénita, cumpre, contudo, à "escola" desenvolvê-la, fornecendo-lhe conhecimentos e aperfeiçoamentos técnicos. "Escola" ministrada, há uns anos a esta parte, por antigos praticantes dotados apenas da experiência adquirida nas suas carreiras futebolísticas. Mas não só; o desporto, neste caso o futebol, também é um "campo" de ensinamentos para a vida, sobretudo para quem os queira (para quem os quis) aprender. Então se o técnico for sabedor e ministrar, sem pressas, à vontade, tudo o que o jogo exige de si, o jovem praticante sairá capaz.
Mas nada disto seria, e continuará a ser, possível  sem a gente que por lá tem passado, a chamada "retaguarda", os abnegados, os carolas dos seus dirigentes, absolutamente amadores, principalmente aqueles que se debateram com a gritante falta de infra-estruturas, que tinham de inventar receitas para as despesas correntes; compra de equipamentos, chuteiras, bolas, gás, combustível..., sem a ajuda de um tostão por parte dos pais dos meninos - agora não é tanto assim, e ainda bem, pois até aqui muita coisa mudou, o que era irreversível face às constantes transformações que tudo isto levou. Que se serviram apenas (que remédio!) do acanhado pelado do saudoso "Carvalhal", disponível para todos, e não eram assim tão poucos. Dirigentes que fizeram daquele mítico espaço a sua segunda casa, que diariamente se esforçaram, lutaram, que foram para a frente. Que também ganharam.
 
143.jpg
 O velhinho e saudoso campo do "Carvalhal"
 
Vem tudo isto a propósito dum glorioso feito alcançado pelos JUNIORES do Freamunde, faz hoje, dia 17, 25 anos; os "nossos" meninos disputaram no Campo Rei Ramiro, em Candal, Gaia, com o grupo local, o segundo jogo da final e empataram--no, 2-2, resultado que serviu, sagrando-se CAMPEÕES DISTRITAIS da categoria.
Ribeiro, treinador principal, havia "pegado" neste grupo pela base, desde os infantis, com o auxílio de excelentes colaboradores. Até à emancipação, ao último ano da formação, a equipa só soube vencer. Conquistou sempre o primeiro lugar da série em todos os escalões etários. Fantástico, só ao alcance dos denominados "grandes".
Nesta finalíssima, com os candalenses, à rapaziada bastava uma igualdade, depois da vitória no seu reduto, no jogo da 1ª mão, por 4-3.
Gaia foi inundada de adeptos azuis e brancos que não quiseram faltar à chamada. O jogo, arbitrado pelo malogrado Miranda de Sousa, foi vivido de forma emotiva com fases de algum dramatismo. A vencer por 2-1, a escassos minutos do derradeiro apito, golos de Arnaldo e Leonel, os jovens freamundenses consentiram que o valoroso adversário, através da marcação de uma grande penalidade, empatasse a contenda. Ansiedade dentro e fora das quatro linhas. Os corações não paravam de bater. O "juiz" silvou, finalmente, por três vezes e pôs fim ao desespero. O Freamunde tornava-se virtual campeão. Foi a vitória da raça, da paciência, do sofrimento..., da classe. Os abraços sucederam-se entre os heróis. Dos que sofreram no banco dos suplentes aos que tudo deram dentro do pelado. Aos que, fora das quatro linhas, não pararam um minuto de incentivar os seus meninos. Os mesmos que no final, num acto espontâneo de alegria, invadiram pacificamente o campo para a tradicional "caça" aos equipamentos. A festa era freamundense.
O treinador, Ribeiro, na aura envolvente do título, visivelmente eufórico, destacou, como factores principais do êxito,  a união do grupo (e aqui incluem-se os atletas, dirigentes e treinadores) e o apoio, possível, dos pais.
Albino Campos, líder dos dirigentes, as palavras não lhe "saíam". Custava balbuciá-las, tamanha era a emoção. O caso não era para menos.«Sem o orçamento dos grandes clubes, com as infra-estruturas de todos conhecidas, sem posses, os resultados, mesmo assim - e ninguém pense que houve milagres -,  apareceram...», lá foi atirando.
 
  Campos e Ribeiro.jpg
 Albino Campos e Ribeiro
 
Ficha do jogo:
Campo Rei Ramiro, em Candal, Gaia
Árbitro: Miranda de Sousa (Porto), auxiliado por Cerejo Moutinho e Alfredo Manuel.
FREAMUNDE: Rui Ribeiro, Serafim, Carlos, Fernando e Adriano; Zé "d'Eiriz", António "de Modelos" e Leonel; Arnaldo (Tonanha), Aníbal e Rui Pacheco "48" (Jaime).
Ao intervalo: o-o
Marcadores dos golos do Freamunde: Arnaldo (50) e Leonel (70).
 
Enquanto a comitiva ficou umas horas por Gaia, para o almoço, os adeptos, que viajaram de camionetas e automóveis, efusivos com os feitos dos meninos,  regressaram felizes ao seu burgo, com bandeiras tremulando ao vento. 
 
juniores 89-90 festa em gaia.jpg
A "malta" depois do almoço, em Gaia
 
A rapaziada, cada vez mais animada, mal cá chegou, foi direitinha para o "Dallas", discoteca do povo e para o povo, gerida por dois tipos fixes - sabem muito bem a quem eu quero referir-me. Lá, deram largas à sua existência. A vitória foi festejada, pela noite dentro, no meio de uma ruidosa algazarra, com muita bebida à mistura, tudo oferta da casa, ao som constante de "we are de champions", dos Queen.
 
nandinho e antonio.JPG
 Saudosos FERNANDO E ANTÓNIO "DE MODELOS"
 
Dias depois, a homenagem, mais que merecida, a todos os que diretamente estiveram envolvidos e que tiveram ali a demonstração de quanto o seu trabalho foi apreciado. Na "Quinta da Vista Alegre"- após o jogo de consagração com o Penafiel (7-1), imposição de faixas, entrega de troféu, por Alcino Campos, dirigente da AFP - o "copo d'água" reuniu inúmeros associados, amigos do departamento e outras pessoas ligadas às estruturas desportivas regionais, clubes incluídos.
 
campeoes 89-90 entrega trofeu.jpg
 Entrega da TAÇA pelo Dirigente da AFP, Alcino Campos
 
Ao longo destes 25 anos, toda a estrutura ( a possível, pois alguns dos seus membros já nos deixaram) reúnem-se num jantar convívio, uma forma salutar de reforço dos elos de ligação e para que o "feito" não se apague na poeira do esquecimento.
GLÓRIA AOS CAMPEÕES!
 
convivio jun. 10.jpg
1995 - Um aspeto do convívio 
 
conv. jun. 2012.jpg
2012 - Um aspeto do convívio